Total de visualizações de página

terça-feira, 16 de outubro de 2012

Putz... acho que sou Índigo!

Muita gente acha que esse papo de Índigo é coisa de maluco, de alienado, de gente esquisita. Por isso, na maioria das vezes, quando nos perguntamos; será que sou Índigo? levamos um grande susto porque apesar de nos encantarmos com as descrições características, reconhecemos seu cunho futurista. Quando me perguntei isso rolou um monte de questionamento e de medo de estar assimilando coisas que eu no fundo do meu coração estaria desejando, respondendo assim a minha falta de talento de me encaixar no mundo. Foram muitas noites sem dormir até que as coisas ficassem mais claras dentro de mim e então, a aceitação aconteceu: Sou Índigo, Pronto falei! Mas, e agora? Meu ímpeto foi de buscar uma forma de ajudar outros a se descobrirem. É aí, que geralmente agarramos e, ficamos rodando igual a cachorro atrás do rabo, sem saber que a maioria de nós (Índigo) não nasce pronto. Mesmo àqueles que vieram conscientes de sua condição, passam por processos de adaptação, compreensão e até mesmo de ajustes em termos energéticos, quando chega aqui na Terceira Dimensão. Na minha percepção o maior desafio que a maioria dos Índigo encontra está relacionado com a autoestima. Este é um ponto que deve ser tratado com o maior carinho e compaixão, porque em geral a educação que recebemos e a que vemos aqui até a data de hoje, salvo raríssimas exceções, é um sistema que destrói a autoestima de qualquer cidadão, sem contar a nossa bagagem de vidas passadas. Portanto, nosso coração chora quando vê uma criança sendo maltratada, incompreendida, ofendida. Enfim, desrespeitada em sua integridade, pois sabemos que isso pode gerar bloqueios que impedirão a plena manifestação daquela consciência que está aqui porque se ofereceu para prestar serviços em benefício da humanidade como um todo. Por isso, vemos hoje muitas mães abandonando carreiras promissoras, ou buscando alguma alternativa, quando não podem deixar o trabalho remunerado, porque percebeu de alguma forma a importância da sua presença diante desta Nova Humanidade. Felizmente, o trabalho a ser realizado não depende da compreensão de todos os pais e da sociedade como um todo, pois a evolução segue o seu curso, mas se houver um pouco mais de respeito, gentileza e compreensão, a jornada pode se tornar mais suave, mais leve e não um grande fardo a ser carregado. Portanto, a vocês que se consideram Índigo, que se sentem incompreendidos, não aceitos, desajustados ou doentes, tomem consciência de que vocês estão aqui para ser um farol para a humanidade e não para ser escravos dela. Vocês vieram basicamente, para elevar a vibração do Planeta Terra para a Quinta Dimensão através da elevação de si mesmo. Então, ame-se, eleve-se, celebre e divirta-se neste grande Jogo ,pois você merece, nunca está sozinho e é amado ternamente por nós outros e pelas Esferas de Luz. Com todo meu amor e honra, Sandra Ferris

6 comentários:

  1. A educação é uma questão muito delicada mesmo. Um professor tem uma tarefa muito importante para todos.

    ResponderExcluir
  2. É delicada, começa em casa e, é a chave para a transformação da Sociedade. Gde abraço e muito grata!

    ResponderExcluir
  3. Sandra é verdade q os meninos índigos podem ser o q eles quiserem quando adultos? Por ter o espírito milenar, eles mesmos já tem o seu destino aqui na terra traçado? Como é isso então? Vc poderia me dar uma breve explicação? Obrigada.

    ResponderExcluir
  4. Olá Sirleia, obrigado pela visita e por ter se interessado pelo tema. Com a relação às questões colocadas, o Índigo é por natureza um rompedor de Sistemas.Veio para transformar a sociedade e seus sistemas arcaicos. Portanto, ele fará de tudo para cumprir o seu propósito. O resultado da sua ação, aos olhos dos que estão em seu entorno pode ser visto tanto como positivo quanto negativo,mas aos olhos do Espirito será sempre apropriado. Pois, em níveis mais elevados de consciencia não existe polaridades. Portanto, sua missão pode ser desafiadora, aos olhares menos compreensivo, caso não encontre o apoio que necessitar.
    A necessidade maior do Índigo é com certeza ser amado, aceito e respeitado no seio de sua família. Apesar de nascerem com a auto-estima bem elevada é bastante comum que aos três anos de idade ela já esteja bem enfraquecida. Por isso a importância da tomada de consciência de seu pais ou tutores. As relações familiares são importantíssimas nesses primeiros anos, pois eles tem aversão a mentiras, conflitos, brigas, gritos; enfim relações muito desequilibradas e, por não conseguirem ainda se expressar vão internalizando esses desequilíbrios que poderão se transformar em bloqueios ou traumas. Sim, eles são almas milenares, mas seu caminho e a expressão de sua sabedoria vai depender do que vão encontrar aqui. Eles trazem de forma potencial as ferramentas para fazer a transição consciencial da velha para A Nova Consciencia. E, diga-se de passagem, essa transição está se desenrolando há muitos anos por Índigos adultos que vieram como sustentadores da Energia até 2012. Como já estamos em 2013, àqueles nascidos à partir de 2000 já estão em ação, comprovada pela atitude dos jovens que hoje estão nessa faixa. rsrrsrrs
    Enfim,nossas pesquisas indicam que o Amor, o apoio, a compreensão e, principalmente o respeito e o diálogo, são um grande suporte para tornar a sua Jornada mais suave. Espero ter respondido a contento seu questionamento e qualquer duvida é só perguntar. Gde abço

    ResponderExcluir

  5. Dando continuidade ao exposto anteriormente, deixei de mencionar, talvez, o mais importante que é a investigação, a pesquisa sobre o tema caso o seu coração tenha sido tocado, pois o assunto é bastante extenso e de variações enormes, como não poderia deixar de ser.E, como costumo mencionar a todos que me perguntam sobre, seguir o caminho do coração e usar o próprio discernimento é fundamental e imprescindível

    ResponderExcluir
  6. Gratidão pelo texto Sandra.
    Depois de muitas angústias e clamar ajuda há alguns meses eu acordei com a palavra "Despertar de Consciência" na cabeça e no caminho do autoconhecimento as coisas começam a se encaixar, embora tenha ainda muita transpiração pela frente...
    Tenho ainda dificuldades em seguir o caminho do coração, mas tenho a certeza de que estou no caminho, namastê!

    ResponderExcluir